quinta-feira, 25 de fevereiro de 2021

Brasil fica em 3º no ranking de vídeos removidos do TikTok no 2º semestre de 2020


TikTok removeu mais de 89 milhões de vídeos no 2º semestre de 2020 — Foto: Imagem de Divulgação/TikTok.

TikTok removeu mais de 89 milhões de vídeos no 2º semestre de 2020 — Foto: Imagem de Divulgação/TikTok.

Brasil foi o 3º país com mais vídeos removidos do TikTok no 2º semestre de 2020 por violação das diretrizes ou termos de serviço da plataforma.

No período, mais de 7,5 milhões de vídeos de usuários registrados como brasileiros foram apagados, como mostram dados do relatório de transparência divulgado pela rede social nesta quarta-feira (24).

Os principais motivos para os vídeos saírem do ar foram "segurança de menores" (36% dos casos) e "nudez e atividades sexuais de adultos" (20,5%).

Entre 1º de julho e 31 de dezembro, o total de 89.132.938 vídeos foram removidos do TikTok globalmente, o que representa 1% de todos os vídeos carregados no serviço. A lista dos 5 países com mais vídeos apagados ficou com:

  1. Estados Unidos: 11.775.777
  2. Paquistão: 8.215.633
  3. Brasil: 7.506.599
  4. Rússia: 4.574.690
  5. Índia: 3.860.156

Quanto ao momento da remoção dos vídeos, a empresa explicou que:

  • 92,4% foram tirados do ar antes de um usuário reportá-los;
  • 83,3%, antes de receberem qualquer visualização;
  • 93,5%, em menos 24 horas após serem publicados.

Quais as violações dos vídeos apagados?

O relatório também detalhou as violações cometidas nos mais de 9,5 milhões de publicações apagadas no mundo todo; não houve detalhamento para cada país. Veja os motivos mais comuns:

  1. Segurança de menores: 36% dos posts foram apagados por descumprir essa regra, contra 22,3% no primeiro semestre de 2020.
  2. Nudez e atividades sexuais de adultos: dos vídeos removidos, 20,5% violaram essa política, contra 30,9% no primeiro semestre de 2020.
  3. Atividades ilegais e mercadorias regulamentadas: 17,9% dos vídeos removidos violaram essa regra, uma pequena redução dos 19,6% do primeiro semestre de 2020.
  4. Conteúdo violento e explícito: 8,1% quebraram esta regra em comparação com 8,7% no primeiro semestre de 2020.
  5. Assédio e bullying: 6,6% violaram essa política, contra 2,5% no primeiro semestre de 2020.
  6. Suicídio, autolesão e atos perigosos: 6,2% violaram essas políticas, o que representa uma redução de 13,4% do primeiro semestre de 2020.
  7. Integridade e autenticidade: 2,4% foram removidos por este tipo de violação, ante 1,2% no primeiro semestre de 2020.
  8. Comportamento de ódio: 2% dos vídeos removidos infringiram a regra, contra 0,8% no primeiro semestre de 2020.
  9. Extremismo violento: 0,3% violaram esta política, o que está de acordo com o conteúdo removido durante o primeiro semestre de 2020.

O TikTok afirma que reforçou as políticas sobre a "segurança de menores" para ajudar a manter "os jovens seguros". A redução dos casos de "nudez e atividades sexuais" foi atribuída a uma mudança no processo de moderação.

"Um dos motivos para essa redução é resultado da melhoria de nossos sistemas de triagem que separam a nudez adulta da nudez de menores", disse a empresa.

No início de 2021, o TikTok anunciou alterações em suas configurações de privacidade para menores de 18 anos. Uma das mudanças é que as contas de usuários com idade entre 13 e 15 anos passaram a ser padronizadas como privadas.

Proibido na Índia

Entre os países que tiveram mais vídeos deletados por violação, o Brasil passou do 4º lugar, no primeiro semestre de 2020, para o atual 3º lugar. Entre 1º de janeiro e 30 de junho, o TikTok removeu 5,5 milhões de publicações originárias do país.

Com os mais de 7,5 milhões deletados no 2º semestre, houve um crescimento de 35,9% na comparação aos 6 primeiros meses daquele ano.

No entanto, o ganho de posição do Brasil no ranking está relacionado à queda da Índia, que passou de 1º para o 5º lugar.

Em meados de 2020, o aplicativo foi proibido pelo governo indiano, que alegou preocupação com a segurança do país após conflito com a China - país de origem do TikTok.

Veja mais detalhes do relatório de transparência do TikTok do 2º semestre de 2020:

  • Anúncios: além das contas e dos vídeos, 3.501.477 anúncios foram rejeitados por violar políticas e diretrizes de publicidade.
  • Contas removidas: na segunda metade de 2020, 6.144.040 contas foram removidas por violarem as diretrizes do app. Além disso, outras 9.499.881 contas de spam foram removidas, juntamente com 5.225.800 vídeos de spam postados por essas contas. A empresa diz ter evitado a criação de 173.246.894 contas por meios automatizados.
  • Apelações: os criadores de conteúdo podem apelar das exclusões da plataforma. Utilizando deste direito, 2.927.391 de vídeos foram restabelecidos após reclamações.
  • Remoção automática de vídeos: a empresa disse que 8.295.164 vídeos foram sinalizados e removidos automaticamente. "Devido à pandemia, continuamos contando com tecnologia para detectar e remover automaticamente o conteúdo violador em alguns mercados, como Brasil e Paquistão", disse a empresa, no relatório.

Fonte:G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts Relacionados