sexta-feira, 8 de janeiro de 2021

Hubble mostra seis deslumbrantes fusões de galáxias

 Galáxias fundindo-se são fenômenos comuns no cosmos. A própria Via Láctea já passou por isso e, em seu futuro, ela própria se juntará à galáxia de Andrômeda.

© Fusões galácticas: episódios marcantes na história desses corpos. (A descrição das galáxias está no ...

Para celebrar o novo ano, o telescópio espacial Hubble, da Nasa/ESA, publicou uma montagem de seis belas fusões de galáxias. Cada um desses sistemas de fusão foi estudado como parte da recente pesquisa Hubble imaging Probe of Extreme Environments and Clusters (HiPEEC) para investigar a taxa de formação de novas estrelas em tais sistemas. Essas interações são um aspecto-chave da evolução da galáxia e estão entre os eventos mais espetaculares na vida de uma galáxia.

Linha superior, esquerda: NGC 3256

Esta imagem da NGC 3256 foi obtida com a Wide Field Camera 3 (WFC3) e a Advanced Camera for Surveys (ACS), ambas instaladas no Hubble. A galáxia está a cerca de 100 milhões de anos-luz da Terra e fornece um alvo ideal para investigar explosões estelares que foram desencadeadas por fusões de galáxias.

Linha superior, meioNGC 1614

O sistema de galáxias NGC 1614 tem um centro óptico brilhante e dois braços espirais internos claros que são bastante simétricos. Ele também tem uma estrutura externa espetacular, que consiste principalmente em uma grande extensão curva unilateral de um desses braços para o canto inferior direito, e uma cauda longa, quase reta, que emerge do núcleo e cruza o braço estendido para a parte superior direita.

Linha superior, direitaNGC 4194

A NGC 4194 também é conhecido como a fusão da Medusa. Uma galáxia primitiva consumiu um sistema menor rico em gás, lançando fluxos de estrelas e poeira para o espaço. Esses riachos, vistos subindo do topo da galáxia de fusão, se assemelham às cobras se contorcendo na Medusa. Esse monstro da mitologia grega antiga tinha em sua cabeça cobras no lugar do cabelo, emprestando ao objeto seu nome intrigante. A fusão da Medusa está localizada a cerca de 130 milhões de anos-luz de distância, na constelação de Ursa Major (a Ursa Maior).

Linha inferior, esquerda: NGC 3690

Esse sistema consiste em um par de galáxias, apelidadas de IC 694 e NGC 3690, que passou perto cerca de 700 milhões de anos atrás. Como resultado dessa interação, o sistema passou por uma forte explosão de formação de estrelas. Nos últimos 15 anos, aproximadamente, seis supernovas surgiram nos confins da galáxia, tornando o sistema uma notável fábrica de supernovas.

Linha inferior, meio: NGC 6052

Localizada na constelação de Hércules, a cerca de 230 milhões de anos-luz de distância, a NGC 6052 é um par de galáxias em colisão. Descobertas pela primeira vez em 1784 por William Herschel, elas foram originariamente classificadas como uma única galáxia irregular por causa de sua forma estranha. No entanto, agora sabemos que a NGC 6052 na verdade consiste em duas galáxias que estão em processo de colisão. Esta imagem específica da NGC 6052 foi obtida usando a Wide Field Camera 3 do Hubble.

Linha inferior, direita: NGC 34

Situada na constelação de Cetus (O Monstro Marinho), a NGC 34 tem uma região externa que parece quase translúcida, pontilhada de estrelas e estranhos cachos finos. Esta imagem mostra o centro brilhante da galáxia, resultado do evento de fusão que criou uma explosão de formação de novas estrelas e iluminou o gás circundante. Conforme as galáxias continuam a se entrelaçar e se tornar uma, a forma da NGC 34 se tornará mais parecida com a de uma galáxia desprovida de qualquer forma distinta.


Fonte:MSN e Revista Planeta



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts Relacionados