segunda-feira, 28 de dezembro de 2020

Neymar inicia festa polêmica com 500 pessoas e prefeitura se pronuncia

 

Neymar produz festa polêmica (Imagem: Reprodução / Instagram)

As festas de Réveillon de Neymar Jr sempre dão o que falar, mas neste ano, a repercussão vem sendo ainda maior, por conta da realização em meio à pandemia do novo coronavírus.

Com mais de 500 pessoas confirmadas, a festa teve início no último sábado (26) e só tem previsão de término em 2021 em Mangaratiba, na Região da Costa Verde do Rio de Janeiro.

Segundo informações da CNN, a festa contará com uma ampla programação de shows, mas quem não está gostando nada são os vizinhos, afetados diretamente pela baderna.

Um funcionário do condomínio onde o evento está sendo realizado revelou que está havendo uma grande movimentação, com entradas e saídas de pessoas o tempo inteiro.

A prefeitura de Mangaratiba informou em nota que “se o evento está acontecendo, não é com o aval da prefeitura de Mangaratiba”. A assessoria do jogador, por sua vez, nega a festa.

Já a assessoria do grupo de pagode “Vou pro Sereno” confirmou a apresentação deles no evento particular de Neymar. Para evitar mais comentários, Neymar proibiu celulares no local.

Foi instalado ainda um sistema de isolamento acústico na casa, com a intenção de evitar maiores incômodos entre os vizinhos. A mansão está localizada em um terreno de 10 mil metros quadrados, afastado do centro da cidade.

Ela conta com seis suítes, heliponto, quadra de tênis, espaço gourmet, adega subterrânea climatizada com capacidade para três mil garrafas, spa com jacuzzi aquecida, sauna a vapor, sala de massagem, sistema de som integrado, academia e vaga para lancha de grande porte.

A festa tem repercutido internacionalmente e vem impactando a rede hoteleira da cidade de Mangaratiba, que tem registrado alta taxa de ocupação, algo raro em tempos de pandemia.

“Não há como legislar em um evento particular, mas se o Neymar faz uma festa aqui (Mangaratiba), ele está ferindo seriamente princípios sanitários, os decretos em vigor e as recomendações da prefeitura para se realizar festas em residências com apenas pequenos núcleos familiares. A população está insatisfeita com a festa e com a repercussão envolvendo o nome da cidade. O evento é um desrespeito sanitário, absurdo total”, disparou uma fonte do governo de Mangaratiba.

A cidade, vale lembrar, conta com 44 mil habitantes e apenas com um hospital público, além de três unidades básicas de saúde, contando apenas com o bom senso por parte da população local para evitar aglomerações.

A taxa de ocupação de leitos para Covid-19 no Hospital Municipal Victor de Souza Breves, até domingo (27), estava em 11%, segundo a Secretaria de Saúde de Mangaratiba.

Confira a foto do local:

 

(Imagem: Reprodução)

Fonte:RD1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts Relacionados