segunda-feira, 28 de dezembro de 2020

Maternidades proíbem presença de doulas durante partos em BH

 Maternidades de Belo Horizonte estão impedindo a presença de doulas durante o parto, por causa da pandemia de covid-19. A restrição tem provocado uma reação negativa tanto de doulas como das gestantes, que dizem que a medida é ilegal. 

Na maternidade Neocenter também foi proibida a entrada de fotógrafos. Após a repercussão negativa por causa do comunicado, a maternidade voltou atrás e decidiu liberar o acesso das doulas, desde que seja apresentado um resultado negativo do teste para a covid-19 realizado nas últimas 24 horas que antecederem o parto.

Doulas estão impedidas de entrar na maternidade

Doulas estão impedidas de entrar na maternidade

REPRODUÇÃO

No entanto, a medida é criticada pelas profissionais, como explica a conselheira da Associação de Doulas de Minas Gerais, Camilla Dutra. 

- Os custos de testagem são altos e a logística de triagem é inviável. A gente não tem como adivinhar a hora do parto, a gente não tem uma política de testagens adequada e disponível 24 horas por dia. 

Mãe do Yuri, de dois anos e quatro meses, agora, a Simone se prepara para a chegada da Sara. Ela pretende ter mais um parto humanizado com a presença de uma doula e ficou preocupada quando soube da nova determinação das maternidades.

- A doula ajuda a gente em vários aspectos físicos, psicológicos, com ferrmentas não farmacológicas de alívio da dor. São inúmeros benefícios de ter uma doula, inclusive no pós- parto.

Ilegal

De acordo com a Associação das Doulas de Minas Gerais, a decisão contraria uma lei municipal de 2016, que obriga as maternidades das redes pública e privada a permitirem, sempre que solicitado, a presença das doulas durante todo o período do trabalho de parto e pós-parto imediato. 

O não cumprimento da lei pode acarretar em consequências, como explica a advogada Priscila Guedes.

- O não cumprimento da lei sujeita, no caso da maternidade pública, o afastamento de seu dirigente. E, no caso da maternidade particular, multa de R$ 5 mil a R$ 50 mil em caso de reincidencia

A associação redigiu uma carta aberta às maternidades pedindo que a medida seja revista e que o direito das gestantes seja garantido e respeitado. 

Outro lado

As maternidades Vila da Serra e Santa Fé disseram que a restrição está de acordo com a determinação dos órgãos de saúde. Já a Unimed-BH disse que está fazendo a adequação aos protocolos para contemplar a presença das doulas caso seja uma necessidade da gestante. 


Fonte:R7

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts Relacionados