quarta-feira, 29 de abril de 2020

Motoristas de ônibus aceitam proposta de empresas e irão manter 40% do atendimento em Sorocaba

Durante o mês de abril os motoristas chegaram a parar totalmente o atendimento à população por quatro dias — Foto: Divulgação/Urbes
Durante o mês de abril os motoristas chegaram a parar totalmente o atendimento à população por quatro dias — Foto: Divulgação/Urbes


Os trabalhadores do transporte público de Sorocaba (SP) concordaram com as propostas apresentadas pelas empresas para resolver questões trabalhistas decorrentes da alteração de rotina por conta da pandemia.

Em duas assembleias realizadas nesta quarta-feira (29), eles concordaram em manter o atendimento de 40% da frota acertados com o Poder Público para os tempos de pandemia e afastaram a possibilidade de nova paralisação. O acordo foi firmado entre o sindicato, empresas CONSOR e STU e o poder público local.
Os profissionais concordaram com a adesão das empresas à Medida Provisória 936, que prevê a redução salarial e de jornadas como forma de evitar demissões.
Segundo nota do sindicato, os trabalhadores concordam com a redução de jornada de trabalho e salário entre 50% e 70%, porém com o pagamento de uma complementação à remuneração, em forma de abono, até o valor do piso salarial da categoria.
Esse complemento começará a ser pago no 5º dia útil de agosto, ficando condicionado a repasse de verbas do poder público.
As assembleias também aprovaram que o ticket-alimentação será pago proporcionalmente aos dias trabalhados. Também ficou aprovado que a Participação nos Lucros e Resultados (PLR) será paga em 15 de março de 2021 e não no retorno das férias de cada trabalhador, como acontece hoje em dia.

Pagamentos atrasados

Um dos pontos mais importantes da negociação envolve o pagamento de salários atrasados por causa da queda de arrecadação causada pelo coronavírus. Segundo o sindicato, o acordo prevê que as empresas pagariam o adiantamento salarial de abril ainda nesta quarta-feira.
Já o Prêmio por Tempo de Serviço referente ao mês de março será pago em 10 de junho. As horas extras não pagas e as folgas em haver serão descontadas dos dias não trabalhados.
O Sindicato dos Rodoviários afirma ainda que o acordo prevê que as empresas não poderão efetuar novas demissões conforme determina a Medida Provisória 936/2020 e não poderão punir trabalhadores por causa dos protestos realizados.

Quatro dias de paralisação

O sistema de transporte público foi totalmente paralisado em Sorocaba entre os dias 24 e 28 de abril e voltou depois que a Justiça concedeu uma liminar determina o retorno dos trabalhadores com 40% da frota, sob pena de desobediência e prisão dos representantes do sindicato, multa diária de R$ 500 mil e cancelamento do registro sindical.
Segundo o sindicato, o foco do protesto era a falta de pagamento do salário referente a março e do adiantamento salarial do dia 20.
Após 4 dias de paralisação, transporte público volta a funcionar parcialmente em Sorocaba
--:--/--:--
Após 4 dias de paralisação, transporte público volta a funcionar parcialmente em Sorocaba
Fonte:G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts Relacionados