quinta-feira, 31 de outubro de 2019

Equipes finalmente aprovam novo regulamento a vigorar na Fórmula 1 a partir da temporada 2021

Equipes finalmente aprovam novo regulamento a vigorar na Fórmula 1 a partir da temporada 2021
Divulgação

Promotora da Fórmula 1, a Liberty Media finalmente conseguiu aprovar com as equipes o novo regulamento técnico a vigorar na categoria a partir da temporada 2021. Dentre as inúmeras alterações, a principal será na concepção dos carros, que serão projetados para facilitar as perseguições durante as corridas, e, consequentemente, permitir mais disputas entre os pilotos.

Outro motivo de discórdia anterior entre as equipes, o teto orçamentário de US$ 175 milhões (cerca de R$ 703 milhões) também está aprovado - para se ter uma ideia do corte de gastos, em 2018 a campeã Mercedes gastou aproximadamente R$ 2 bilhões). O objetivo é promover um equilíbrio maior entre as escuderias. A Fórmula 1 divulgou desenhos de como será o conceito dos novos carros.

- As novas regras surgiram de um processo detalhado de dois anos de análise de questões técnicas, esportivas e financeiras, a fim de desenvolver um pacote de regulamentos - disse Chase Carey, presidente e CEO da Fórmula 1.
Carro da Fórmula 1 a ser usado a partir da temporada 2021 — Foto: Reprodução/FOMCarro da Fórmula 1 a ser usado a partir da temporada 2021 — Foto: Reprodução/FOM
Carro da Fórmula 1 a ser usado a partir da temporada 2021 — Foto: Reprodução/FOM
Com a aprovação submetida ao Conselho Mundial da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), a publicação do novo regulamento determina os novos rumos da principal categoria do esporte a motor, dissecados pela Liberty Media em alguns tópicos:
- Carros mais aptos a batalhar na pista
- Uma competição mais equilibrada na pista
- Um esporte no qual o sucesso é determinado mais pela forma como uma equipe gasta seu dinheiro, não quanto gasta - incluindo, pela primeira vez, um teto de custo totalmente aplicável (US$ 175 milhões por temporada) nas regras da FIA.

- Um esporte que é um negócio melhor para os participantes e mais atraente para novos participantes em potencial.
- Um esporte que continua a ser a principal competição de corridas de automóveis do mundo e a vitrine perfeita de tecnologia de ponta.

As mudanças mais visíveis

Cada equipe continuará sendo responsável pelo projeto do próprio carro, mas seguindo as especificações técnicas do novo regulamento. As mudanças mais visíveis estão nas rodas, que passarão a ter aro 18 polegadas (contra as atuais de 13 polegadas) para abrigar os novos pneus da Pirelli. As rodas, por sinal, terão um apêndice na parte de cima.
Outras alterações estão nas asas dianteira e traseira, que passarão a ter um perfil mais simplificado com o objetivo de reduzir a turbulência gerada ao carro de trás. Outra alteração está no assoalho, que passará a ser o responsável por gerar a maior parte da pressão aerodinâmica.
- A Fórmula 1 é um esporte incrível, com uma grande história, heróis e fãs em todo o mundo. Nós respeitamos profundamente o DNA da Fórmula 1, que é uma combinação de grandes competições esportivas, pilotos talentosos e corajosos, equipes dedicadas e tecnologia de ponta. O objetivo sempre foi melhorar a competição e a ação na pista e, ao mesmo tempo, tornar o esporte um negócio mais saudável e atraente para todos. A aprovação das regras pelo Conselho Mundial é um momento decisivo e ajudará a proporcionar corridas roda a roda mais emocionantes para todos os nossos fãs - concluiu Carey.

Redução do "ar sujo"

A grande aposta da Liberty Media para o novo conceito de carro da Fórmula 1 é reduzir o "ar sujo" jogado para o carro que está atrás. Hoje em dia, a estimativa é de que um carro tenha uma queda que varia entre 40% e 50% da pressão aerodinâmica, o que impede um carro siga o outro de perto e, consequentemente, atrapalha as disputas na pista.

Estimativa da F1 é que perda da pressão aerodinâmica seja menos sentida em 2021 — Foto: Reprodução/FOM
Estimativa da F1 é que perda da pressão aerodinâmica seja menos sentida em 2021 — Foto: Reprodução/FOM
Com o novo carro, as primeiras projeções indicam que o carro passará a perder apenas 10% da pressão aerodinâmica durante uma perseguição. Com isso, um carro poderia contornar uma curva que antecede a uma reta bem mais próximo ao outro, o que permitiria mais disputas roda a roda.

Fonte:Globoesporte.com













Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts Relacionados