quinta-feira, 30 de maio de 2019

Kleber Mendonça Filho acusa governo após vitória em Cannes

Por Evie Diane

Kleber Mendonça Filho, Karim Ainouz e Juliano Dornelles (Twitter/@kmendoncafilho)
O Festival de Cannes desse ano premiou filmes brasileiros em duas das suas mais importantes categorias: “A vida invisível de Eurídice Gusmão” na categoria Um Certo Olhar, enquanto “Bacurau” do diretor Kleber Mendonça Filho faturou o Prêmio do Júri. A vitória é importantíssima para o país e ajuda a fortalecer a imagem do cinema nacional para o mundo. Entretanto após as comemorações, Kleber se viu obrigado a fazer comentários sobre a decisão tomada pelo governo brasileiro com relação a outro título seu, “O Som ao Redor” de 2012.

Na época, o diretor teria ultrapassado em 50% o orçamento máximo permitido para o filme, realizado através de leis de incentivo do audiovisual, e seria obrigado a devolver a quantia de R$500.000,00 até o início de junho. Kleber, por sua vez, explica que todas as alterações no orçamento foram feitas com o conhecimento e consentimento do Ministério da Cultura e acusa o governo de perseguição política e de tentar se promover às custas da exposição internacional que o filme tem recebido. “Infelizmente, houve um golpe, e o ministério foi tomado por pessoas da direita que agora viram uma oportunidade de começar a sabotar o cinema brasileiro”, disse ele.

Sucesso

Kleber esteve presente no festival anteriormente com o longa “Aquarius”, estrelado por Sônia Braga. Gravado em Recife, o longa conta a história de uma mulher lutando contra a demolição do prédio onde mora, ao mesmo tempo que revive antigas memórias. Já Bacurau, aplaudido pela crítica internacional, conta a história dos moradores de uma vila isolada do sertão nordestino que precisam se defender de um violento ataque de fazendeiros. Fazem parte do elenco além de Sônia, Barbara Colen, Udo Kier e Thomas Aquino. O filme estreia nos cinemas brasileiros em 29 de agosto.

Fonte:RD1

Nenhum comentário:

Postar um comentário