terça-feira, 30 de abril de 2019

Juan Guaidó convoca novos protestos na Venezuela: 'Maduro não tem respeito das Forças Armadas'

Juan Guaidó usa megafone para falar a multidão de cima de um carro em Caracas, após convocar o povo às ruas contra Maduro — Foto: Carlos Garcia Rawlins/Reuters
Juan Guaidó usa megafone para falar a multidão de cima de um carro em Caracas, após convocar o povo às ruas contra Maduro — Foto: Carlos Garcia Rawlins/Reuters


O autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, convocou mais protestos no país para esta quarta-feira (1º), Dia do Trabalhador. Em mensagem divulgada nas redes sociais, o líder oposicionista reiterou que Nicolás Maduro "não tem o respaldo nem o respeito das Forças Armadas".

"Hoje, há possibilidade de uma rebelião pacífica contra um tirano que se fecha por medo da nossa gente", declarou Guaidó.
O líder oposicionista, inclusive, já havia previsto o que chamava de"maior manifestação da história" para este feriado de Dia do Trabalhador. Segundo ele, a Venezuela está na fase final da "Operação Liberdade", nome dado ao movimento para destituir Maduro do poder.

Guaidó liderou, nesta terça-feira, uma marcha próximo à base de La Carlota, em Caracas. Lá, ele afirmou que havia conquistado o apoio das lideranças militares da Venezuela – o que foi contestado pelo regime de Maduro. Houve confrontos na rua da capital, e dezenas de pessoas ficaram feridas.

Onde está Maduro?

Multidão de manifestantes pró-Maduro participa de protesto  em defesa do presidente perto do Palácio Miraflores, em Caracas, a cerca de 10 km da base aérea 'La Carlota' — Foto: Matias Delacroix/AFP
Multidão de manifestantes pró-Maduro participa de protesto em defesa do presidente perto do Palácio Miraflores, em Caracas, a cerca de 10 km da base aérea 'La Carlota' — Foto: Matias Delacroix/AFP
Nicolás Maduro, por sua vez, só apareceu em público na noite desta terça-feira – apesar de lideranças chavistas terem convocado militantes a um ato em frente ao Palácio de Miraflores, de onde Maduro costuma discursar.
O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, disse ao jornalista Wolf Blitzer, da CNN, que Maduro estava pronto para deixar o país nesta terça-feira, mas foi convencido a ficar pela Rússia.
Segundo Pompeo, "Ele tinha um avião na pista, estava pronto para partir esta manhã até onde sabemos e os russos indicaram que ele deveria ficar...ele estava indo para Havana". A informação não foi confirmada.
Nova etapa da Crise na Venezuela — Foto: Juliane Souza/G1Nova etapa da Crise na Venezuela — Foto: Juliane Souza/G1
Nova etapa da Crise na Venezuela — Foto: Juliane Souza/G1

Fonte:G1






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts Relacionados