quinta-feira, 29 de novembro de 2018

Um ano após preterir Kubica por Sirotkin, diretor da Williams diz agora não ter dúvidas

Um ano após preterir Kubica por Sirotkin, diretor da Williams diz agora não ter dúvidas
Getty Images

A confirmação de Robert Kubica como titular da Williams no ano que vem gerou sentimentos distintos: enquanto muitos fãs manifestaram alegria pelo retorno do polonês após oito anos, outros ainda são céticos quanto às condições físicas do piloto, que em fevereiro de 2011 sofreu um grave acidente de rali no qual quase teve o braço direito amputado. Entre esses céticos, não está - pelo menos por enquanto - o diretor técnico da equipe, Paddy Lowe.

Há exatamente um ano, Kubica fez testes com o carro da Williams em Abu Dhabi, e dava-se como praticamente certa a confirmação do polonês como titular em 2018. Não foi o que aconteceu, já que o russo Sergey Sirotkin ficou com a vaga. Mas o que mudou nesse período? Lowe explicou:
Paddy Lowe é diretor técnico da Williams — Foto:  Dan Mullan/Getty ImagesPaddy Lowe é diretor técnico da Williams — Foto:  Dan Mullan/Getty Images
Paddy Lowe é diretor técnico da Williams — Foto: Dan Mullan/Getty Images
- Passamos por um cuidadoso processo de avaliação no ano passado e escolhemos Sergey, e foi uma boa decisão. Robert não pôde mostrar seu melhor lado, mas 12 meses depois nós o conhecemos melhor, vimos o que ele pode nos dar e o que ele pode fazer. Talvez as pessoas de fora da equipe ainda tenham dúvidas, mas ninguém na equipe sequer pensa nisso.

Robert Kubica durante o primeiro treino livre em Abu Dhabi — Foto: Getty Images
Robert Kubica durante o primeiro treino livre em Abu Dhabi — Foto: Getty Images

Williams repõe patrocinador

Depois de perder a empresa de bebidas Martini como patrocinadora principal após cinco temporadas, a Williams tem nova parceira: a companhia polonesa de óleo PKN Orlen, como a mídia daquele país já havia publicado.
A logomarca da empresa será estampada em espaços nobres do carro, como asa traseira, laterais e espelhos, além de estar presente nas vestimentas dos pilotos. Os valores do contrato não foram divulgados, mas segundo se especula na Europa, o investimento seria de aproximadamente R$ 40 milhões.

Fonte:Globoesporte.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts Relacionados