quarta-feira, 31 de outubro de 2018

Eufórica, colombiana diz que pilotar carro de Fórmula 1 foi até mais fácil do que guiar GP3

Eufórica, colombiana diz que pilotar carro de Fórmula 1 foi até mais fácil do que guiar GP3
Divulgação

A terça-feira foi especial para a colombiana Tatiana Calderón. A piloto realizou seu primeiro teste com um carro de Fórmula 1, no circuito Hermanos Rodríguez, no México, e percorreu 23 voltas, consideradas "para filmagem", como prevê o regulamento da categoria. Ainda emocionada com a primeira experiência, Calderón admitiu que ficou bastante ansiosa nos momentos que antecederam o treino e nos primeiros instantes guiando o carro utilizado por Charles Leclerc e Marcus Ericsson na temporada 2018.

- Obviamente, a freqüência cardíaca foi um pouco alta, especialmente quando você vê tantas câmeras e quando liga o motor, mas a equipe me preparou muito bem para saber o que eu tinha que fazer em todos os momentos. Foi incrível, um sonho tornado realidade. Você não pode descrever como é estar em um carro de Fórmula 1. A primeira vez que eu acelerei, parecia que eu estava em um PlayStation com o quão rápido tudo aconteceu. A instrução era levar as coisas passo a passo - relatou Calderón.
Na sua melhor volta, a colombiana marcou 1m23s170 (a pole position de Daniel Ricciardo no GP do México foi de 1m14s759), mas o objetivo do teste não foi aferir velocidade, mas sim permitir que a piloto se acostumasse a um carro bem maior e mais potente do que o GP3 com o qual Calderón está acostumada a competir:
- Honestamente, eu não tive nenhum problema físico, isso significa que a preparação física foi na direção certa. De certa forma, achei mais fácil lidar do que com o carro do GP3. Espero poder continuar mostrando que não há desvantagem física (para as mulheres). Agora que este dia já passou, não quero voltar para o meu carro de GP3, quero ficar aqui! Espero poder continuar quebrando barreiras e alcançar meu sonho de chegar à F1.


Chefe dos engenheiros de pista da Sauber, Xevi Pujolar se mostrou satisfeito com o trabalho de Tatiana Calderón e deixou no ar que mais testes deverão ser realizados.
- Nós tivemos um teste limitado, e ela provou ser profissional. Ela não teve um único problema e é o que esperávamos dela. Ao se acostumar um pouco mais à frenagem, e se pudéssemos fazer dois dias de prática, ela melhoraria muito. Mas, sendo a primeira vez e com tão poucos quilômetros, ela foi excelente. De um carro de GP3 ou de um F2 para um carro de F1, os pontos de frenagem são muito diferentes e, especialmente, em uma pista como esta - comentou.
Tatiana Calderón foi atração em testes no México — Foto: DivulgaçãoTatiana Calderón foi atração em testes no México — Foto: Divulgação
Tatiana Calderón foi atração em testes no México — Foto: Divulgação


Fonte:Globoesporte.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts Relacionados