sexta-feira, 28 de setembro de 2018

Roberto Bonfim e Kelzy Ecard falam sobre “Segundo Sol” e se emocionam

Caroline Bittencourt 

Roberto Bonfim interpreta Agenor
Roberto Bonfim interpreta Agenor em "Segundo Sol" (Imagem: Reprodução / Globo)
Roberto Bonfim e Kelzy Ecard foram os convidados do "Mais Você" desta sexta-feira (28). No ar em "Segundo Sol", trama na qual interpretam Agenor e Nice, pais de Maura (Nanda Costa) e Rosa (Letícia Colin), os atores falaram do personagem machista e preconceituoso, que além da relação difícil que tem com as filhas, exerce um relacionamento abusivo com a esposa.
"Até eu fico envergonhado. Tem umas [cenas] que são difíceis de fazer. No começo, fiquei: 'Como se faz isso?' Tem que acreditar nele. Não pode poupar. A tendência é você querer minimizar a agressividade dele. Mas tem que dar verdade para ele. Eu não achava ele mau. Mas ele é aquele cara nojento, grosso, rude. Depois, chegou num ponto que não deu mais", revelou Roberto.
O ator ainda ressaltou a importância de falar sobre o assunto, já que existe muitos "Agenores" por aí. "Esse cara está espalhado por aí. O cara que diminui a mulher para se sentir mais alto, mais importante. É uma discussão interessante de se sustentar", comentou.
Já Kelzy, que vive uma personagem que sofre muito pelo esposo que tem, disse que costuma receber mensagens dos telespectadores nas redes sociais. Ana Maria Braga, então, contou uma história real. “Eu tenho, inclusive, uma história de vida real, que aconteceu agora, essa semana. É da Rita Maria de Cássia, que é de Arembepe, a 50 quilômetros de Salvador, na Bahia. É uma história real, de vida dela. E a gente foi lá conversar com ela. Fala, Rita", disse, chamando a reportagem.
Rita se casou aos 17 anos e, depois de um ano de casada, o marido começou a beber e agredi-la. Além disso, ela também foi violentada pelo companheiro. Rita foi proibida de trabalhar e estudar pelo marido, mas, mesmo assim, se formou técnica em farmácia. O homem, no entanto, não aceitava que a mulher saísse para exercer a profissão e, quando estava grávida do filho caçula, Rita foi agredida e passou 30 dias internada no hospital. Ela, então, saiu de casa e foi morar com a mãe, onde conheceu o segundo marido — e foi vítima da violência novamente. "A história se repetiu", contou.
O convívio durou por 14 anos, pois o marido de Rita se recusava a sair de casa, comprada após muito trabalho pela mulher. Ele morreu em um acidente de carro e só depois disso ela pode ter uma vida tranquila. "A vida, ela é feita de ensinamentos. E a gente é um eterno aprendiz", afirmou Rita no final da matéria. "O melhor de tudo é você viver bem", concluiu.
Ao retornar aos estúdios do programa, Kelzy não se conteve e estava às lágrimas com a história de Rita. "Eu vou ter que fazer um intervalinho, essa moça aqui vai tomar uma aguinha…", disse Ana, também tocada.
Fonte:RD1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts Relacionados