domingo, 30 de setembro de 2018

Alcides Nogueira escreve substituta de “Troia”, de Manuela Dias, às 21h

Alcides Nogueira desenvolve sinopse para o horário das 21h, na Globo (Imagem: Divulgação / Globo)
Em meio às tratativas com Maria Helena Nascimento, Licia Manzo – que desenvolve “Em Seu Lugar” – e Gilberto Braga – um dos autores de “Intolerância” –, a Globo definiu mais um nome na fila das 21h. Segundo informações da jornalista Patrícia Kogut, Alcides Nogueira deverá ocupar a faixa no primeiro semestre de 2020, logo após “Troia”, de Manuela Dias.
“Troia”, cabe lembrar, foi adiada recentemente pelo diretor do departamento de teledramaturgia da casa, Silvio de Abreu. O folhetim “perdeu a vaga” para um novo texto de Walcyr Carrasco – que dominou o horário até maio deste ano, com a criticada, embora bem-sucedida em audiência, “O Outro Lado do Paraíso”. Carrasco substitui “O Sétimo Guardião”, de Aguinaldo Silva, sucessora de “Segundo Sol”.
Alcides Nogueira chegou à TV no início dos anos 1980, como redator do “Caso Verdade” (1982) e da série “Joana” (1984, Manchete e SBT). A estreia em novelas se deu como colaborador de Walther Negrão em “Livre Para Voar” (1984), às 18h. No ano seguinte, assinou “De Quina Pra Lua”, também às 18h. Em 1989, foi alçado ao horário “mais nobre”, auxiliando Lauro César Muniz em “O Salvador da Pátria”.
Colaborou também em “Rainha da Sucata” (1990), “Pátria Minha” (1994), “A Próxima Vítima” (1995) e “Torre de Babel” (1998), todas às 20h. Dentre seus trabalhos solos, destaque para “O Amor Está no Ar” (1997), “Ciranda de Pedra” (2008) e “Tempo de Amar” (2017). Tide também dividiu a autoria de tramas como “Força de um Desejo” (1999, com Gilberto Braga) e “O Astro” (2011, com Geraldo Carneiro), além das minisséries “Um Só Coração” (2004) e “JK” (2006), com Maria Adelaide Amaral.

Fonte:RD1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts Relacionados