sexta-feira, 30 de junho de 2017

Polícia captura mãe e filhas suspeitas de assassinato de professora a facadas no Grande Recife

Delegado Victor Leite apresentou detalhes do caso nesta sexta-feira (30) (Foto: Polícia Civil/Divulgação)
Delegado Victor Leite apresentou detalhes do caso nesta sexta-feira (30) (Foto: Polícia Civil/Divulgação)
A Polícia Civil de Pernambuco prendeu uma mulher de 41 anos e apreendeu as filhas delas, de 12 e 15 anos de idade, por suspeita de envolvimento na morte a facadas de uma professora de 38 anos. Os detalhes do assassinato, ocorrido no dia 10 de junho em Itamaracá, no Grande Recife, foram divulgados nesta sexta-feira (30).
O crime teria sido motivado por conta de um triângulo amoroso, pois um homem de 38 anos que estava se relacionando com a vítima tinha acabado um relacionamento com a mãe das adolescentes há quatro meses. De acordo com o delegado Victor Leite, da Delegacia de Paulista, que esteve à frente das investigações, a mãe incentivou as duas adolescentes a matarem a vítima com golpes de faca.
“A mãe gritou várias vezes para que as jovens esfaqueassem a vítima. Os vizinhos estavam presenciando e achavam que a confusão fosse ficar apenas na discussão verbal. Quando perceberam, as duas adolescentes estavam, cada uma, com uma faca na mão e começou a dar golpes de facadas na vítima", contou.
O delegado também explicou que a mãe "negou todos esses fatos, disse que não sabia que as filhas iriam matar a vítima e alega ter sido encarcerada pelo ex-companheiro na casa e que era vítima de violência física da parte dele". Sobre as duas adolescentes, ele disse que elas "fizeram isso por impulso, num ato de impulsividade naquele momento".
Durante o interrogatório, a mãe das adolescentes também informou à polícia que o ex-companheiro estuprou as duas filhas. “Ela comentou que teria registrado uma ocorrência na delegacia para apurar um suposto estupro do ex-companheiro contra as filhas, e também registrou uma ocorrência de lesão corporal, tendo, inclusive, uma medida protetiva contra ele, mas ela não conseguiu explicar no interrogatório como tinha uma medida a favor dela e, ao mesmo, continuava a ficar com ele, que é o suposto estuprador das próprias filhas dela", informou Victor Leite.
Segundo o delegado, o rapaz foi ouvido pela polícia, mas continua sendo considerado apenas uma testemunha do crime. “Já as duas adolescentes vão responder por ato infracional equiparado a homicídio qualificado, tanto pelo motivo fútil quanto pelo modo cruel em que mataram a vítima. E a mãe vai responder pela participação no homicídio da vítima", finalizou.

Fonte:G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts Relacionados