sábado, 30 de junho de 2018

Deborah Blando relembra carreira e reflete: “Fui me descobrir como ser humano”

Reuber Diirr

Deborah Blando está de volta ao mundo artístico (Imagem: Fabio Theirri / Divulgação)
Sucesso na década de 1990, quando esteve nas trilhas sonoras de várias novelas da Globo, a cantora Deborah Blando está de volta após sete anos. Blando disse que precisou dar esse tempo na carreira para "se descobrir".
"Decidi parar a loucura que estava a minha vida porque me identifiquei muito cedo como cantora e não sabia onde se encontrava o meu próprio desejo. Não tinha o discernimento entre o que eu era obrigada a fazer, o que eu já fazia, que era o meu propósito de vida, e o que eu queria. Então fui me descobrir como ser humano", explicou a artista, em bate-papo com a revista "Quem".
Presente com suas canções em novelas como "Vamp", "Perigosas Peruas" e "A Indomada", Deborah foi buscar no budismo a base que precisava para responder questões pessoais. Enquanto esteve morando fora do Brasil, a cantora descobriu que a felicidade não dependia de estar casada, ser mãe ou fazer sucesso profissional.
"Morei em um templo budista na Inglaterra e depois fui fazer retiro por vários anos na Suíça, durante o inverno mesmo nos alpes suíços. Aquilo ali me transformou porque comecei a entender que a felicidade nunca ia ser encontrada fora da minha mente. Que se eu não estivesse em paz, nunca poderia ser feliz, independentemente das circunstâncias. Não ia fazer diferença se eu estivesse fazendo sucesso ou não, se fosse solteira ou casada. Não poderia depender daquilo para ter uma paz interior e sem a paz não poderia ter uma voz mais plena, foi aí que esse processo me ajudou tanto", relatou.
Com 49 anos, Deborah diz que sua experiência a deixou com voz mais madura e um propósito diferente. "Retorno com uma voz mais madura e com uma vontade de cantar de um lugar muito diferente, que vem do amor e da gratidão pelos meus fãs e pelas pessoas que tiveram a paciência de me esperar", diz ela, que já está realizando novos shows em São Paulo.
O desejo de ser mãe ganhou novo sentido e, pela espiritualidade, realizou-se. "Sou louca por criança, mas tenho os meus filhos caninos. Na época que eu podia ter tido filhos e ter feito tratamento para engravidar, não quis. Os budas me trouxeram outra missão e outros seres para eu exercer a minha maternidade. Queria muito ser mãe. Salvei a vida dos meus cachorros da rua. Isso foi tão significativo quanto ter engravidado. Acho lindo. Hoje sou mãe igual à qualquer outra mãe, mas de três cachorros."

Fonte:RD1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog