quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Tarifa da Trensurb aumenta para R$ 3,30 a partir de sábado no RS

Aumento de 94% na tarifa  do trem a partir deste sábado (3) foi autorizado pelo governo federal. (Foto: Divulgação/Trensurb)
Aumento de 94% na tarifa do trem a partir deste sábado (3) foi autorizado pelo governo federal. (Foto: Divulgação/Trensurb)

O governo federal autorizou a Trensurb a reajustar o valor da passagem unitária do trem de R$ 1,70 para R$ 3,30, um aumento de 94%. A nova tarifa passa a vigorar a partir deste sábado (3). O valor da passagem estava congelado desde 2008.

De acordo com a Trensurb, as despesas da empresa, nos últimos anos, cresceram em função da expansão do sistema até Novo Hamburgo, agregando cinco novas estações e 9,3 quilômetros de linha, aumentando as despesas de funcionamento enquanto a tarifa manteve-se defasada.
Além disso, os custos de operação e manutenção dos trens cresceram, particularmente os gastos com a energia elétrica de tração, que aumentaram mais de 100% de 2007 a 2017, ainda segundo a empresa.
A Trensurb diz que, mesmo com cortes de despesas, incluindo a terceirização de atividades de manutenção e a renegociação de contratos até as últimas possibilidades, não foi possível evitar o aumento.
O reajuste foi autorizado pelos ministérios das Cidades e do Planejamento, e referendado por seu Conselho de Administração.
Mesmo com o novo valor, a tarifa segue sendo a mais baixa entre os meios de transporte metropolitanos para se transitar entre os seis municípios atendidos: Porto Alegre, Canoas, Esteio, Sapucaia, São Leopoldo e Novo Hamburgo.
Em 2017, a Trensurb transportou 55.056.632 usuários, o que equivale a uma média de 4.588.052 passageiros mensais. Durante o ano passado, a média de usuários transportados por dia útil foi de 185.015.

Para sindicato, aumento é absurdo

O Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Metroviários e Conexas (Sindimetrô/RS) diz que o aumento é absurso e abusivo.
"Nada justifica na atual conjuntura um absurdo aumento de 94% no valor da tarifa do trem metropolitano, quando a inflação no período foi de 75%", destaca a nota.
"O aumento é abusivo, pois não leva em conta a grave crise de emprego enfrentada pelo país. São mais de 14 milhões de desempregados. Pessoas que diariamente se deslocam nas regiões metropolitanas atrás de novas oportunidades de trabalho. O preço acessível praticado pela Trensurb era um dos poucos serviços em que o trabalhador recebia o retorno do seu imposto", segue o texto.

O sindicato também critica o serviço oferecido aos usuários de trem. "Está cada vez mais precarizado", diz a nota. "Os banheiros públicos da ampla maioria das estações estão fechados por falta de manutenção", acrescenta.

Fonte:G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog