quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Grupo improvisa estufa em quarto para refino de cocaína em Ribeirão Preto, SP



Quatro pessoas foram presas durante uma operação da Polícia Militar que fechou um laboratório de refino de drogas em uma chácara na zona leste de Ribeirão Preto (SP) na tarde desta quarta-feira (9).

Ao todo foram apreendidos 44 quilos de pasta base de cocaína, além de utensílios como balanças de precisão e outras substâncias utilizadas para o preparo da droga no Ribeirão Verde. Um dos cômodos da casa tinha sido improvisado como uma estufa para acelerar o processo.
"É o método que eles usam para dinamizar o preparo, até porque eles não têm o costume de permanecer muito tempo no mesmo local para não chamar atenção de vizinhos", diz André Luís de Oliveira, tenente da PM.
Grupo improvisou estufa em quarto para acelerar preparo de cocaína em Ribeirão Preto (Foto: Reprodução/EPTV)Grupo improvisou estufa em quarto para acelerar preparo de cocaína em Ribeirão Preto (Foto: Reprodução/EPTV)
Grupo improvisou estufa em quarto para acelerar preparo de cocaína em Ribeirão Preto (Foto: Reprodução/EPTV)

Cheiro de éter

Os policiais desconfiaram da chácara, uma propriedade com piscina e área para churrasco próxima à Avenida Antônia Mugnato Marincek, ao sentirem um forte cheiro de éter vindo do interior da propriedade. De acordo com Oliveira, os suspeitos não resistiram à prisão. "Ninguém fugiu. A gente cercou toda a chácara. Quando a gente entrou, eles foram pegos de surpresa, não tiveram reação", afirma.
Além da estufa repleta de pasta base em processo de secagem, os policiais encontraram mais do material em tambores na cozinha, além de potes de cafeína, radiocomunicadores, entre outros acessórios destinados ao preparo e ao embalo dos entorpecentes.

Chácara alugada para refino de drogas em Ribeirão Preto, SP (Foto: Reprodução/EPTV)
Chácara alugada para refino de drogas em Ribeirão Preto, SP (Foto: Reprodução/EPTV)
A polícia acredita que a casa tinha sido alugada e o grupo estava instalado no local havia dois ou três dias. A droga ali produzida, cuja origem é desconhecida, seria embalada em pinos e serviria para abastecer o tráfico na região, segundo Oliveira.
"A forma de chegar essa droga aqui é variada, vem da fronteira do país, vem por caminhão, carros. Chegava aqui essa pasta base e aqui ela era secada e misturada a outros produtos, pra daqui ser distribuída", explica.
Os quatro, que têm passagens criminais anteriores, foram levados para a central de flagrantes da Polícia Civil.

Fonte:G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Total de visualizações de página

Arquivo do blog