domingo, 24 de junho de 2018

Com três do novo artilheiro Harry Kane, Inglaterra atropela Panamá e se classifica

Com enorme facilidade, e visivelmente tirando o pé no segundo tempo, a Inglaterra atropelou o Panamá em Nizhny Novgorod, neste domingo: 6 a 1, maior goleada da Copa até o momento, sendo que a etapa inicial terminou em 5 a 0. O resultado classificou não só a Inglaterra, mas também a Bélgica, que havia goleado a Tunísia no sábado. O destaque inglês, claro, foi Harry Kane. O atacante do Tottenham fez três gols, chegando a cinco e deixando para trás Cristiano Ronaldo e Lukaku na artilharia da Copa do Mundo.
Harry Kane comemora um de seus três gols pela Inglaterra contra o Panamá

INGLATERRA LIDERA GRUPO G PELO FAIR PLAY
Com a vitória, a Inglaterra se igualou à Bélgica com seis pontos, oito gols marcados e dois sofridos no Grupo G. As duas equipes se enfrentam na quinta-feira, em Kaliningrado, e os ingleses jogarão pelo empate porque têm menos cartões amarelos do que os belgas: foram duas advertências contra três da Bélgica. Vale lembrar que o primeiro do Grupo G pode cruzar com o Brasil nas quartas-de-final, caso a seleção de Tite confirme o favoritismo e passe em primeiro no Grupo E. 
Os gols de Inglaterra 6 x 1 Panamá pela Copa do Mundo 2018

A EMOÇÃO DO VETERANO BALOY NO GOL DE HONRA
O primeiro gol da história do Panamá em Copas do Mundo saiu do pé direito de Felipe Baloy. Aos 37 anos, o zagueiro com passagens por Grêmio e Atlético-PR deixou o banco de reservas no segundo tempo e emocionou todo um país. A emoção do gol panamenho foi maior do que a tristeza pela goleada sofrida: Baloy chorou, apontou para o banco de reservas e foi abraçado pelos companheiros. O técnico Hernán Dario Gomez sorriu e aplaudiu o momento histórico. Baloy, que tem 101 jogos pelo Panamá, vai se aposentar depois da Copa.
Baloy comemora o gol do Panamá contra a Inglaterra

PRIMEIRO TEMPO
Sem forçar, a Inglaterra atropelou o Panamá ainda na etapa inicial. O primeiro gol foi logo aos sete minutos, com Stones, de cabeça, aproveitando escanteio cobrado por Trippier (os dois gols da vitória sobre a Tunísia já haviam saído de escanteio). Kane ampliou de pênalti aos 21. Lingard fez o gol mais bonito da partida aos 35, tabelando com Sterling e mandando no ângulo esquerdo de Penedo. O quarto saiu aos 39, novamente com Stones, de cabeça, aproveitando jogada ensaiada de falta. O quinto também foi de pênalti, mais uma vez de Kane, aos 45. Que passeio, amigo!
Inglaterra x Panamá

SEGUNDO TEMPO
Depois do intervalo, uma imagem curiosa: o técnico do Panamá, o colombiano Hernán Darío Gómez, foi até o banco do Panamá para conversar com o colega inglês, Gareth Southgate. Pelo gestual, parecia pedir para a Inglaterra baixar o ritmo. Coincidência ou não, foi isso o que aconteceu. O segundo tempo só não teve cara de amistoso porque os jogadores do Panamá se mostravam extremamente pilhados, encarando os ingleses a cada dividida. Mesmo assim, a Inglaterra conseguiu ampliar - e sem querer. O chute de fora da área de Loftus-Cheek desviou em Kane e entrou - terceiro gol do centroavante inglês, que chegou a cinco e se tornou o artilheiro da Copa. Na sequência, Southgate começou a rodar o time. Tirou Kane, Lingard e Trippier para colocar Vardy, Delph e Rose. O Panamá fez seu gol de honra aos 32, com Baloy, 37 anos, ex-zagueiro de Grêmio (2004) e Atlético-PR (2005). Detalhe: ele chorou na comemoração.
Gol de Baloy

É BOM FICAR DE OLHO
A bola aérea tem se mostrado a principal jogada da Inglaterra nesta Copa do Mundo. Até o momento, são quatro gols em dois jogos – três de escanteio e um de falta (ensaiada, aliás) –, contra Tunísia (2 a 1) e Panamá (6 a 1). A tática nos escanteios é clara: os zagueiros Stones e Maguire se posicionam na entrada da área e deixam um colega (geralmente Henderson) fazer o trabalho de correr no primeiro pau, puxando a marcação. No primeiro gol contra a Tunísia, Stones cabeceou, e Kane fez no rebote; no segundo, Maguire desviou, e Kane mandou para a rede. Diante do Panamá, Stones reinou absoluto. Abriu o placar aos 7, completando escanteio batido por Lingard, e depois fez no rebote (de Sterling), em falta ensaiada que contou com levantamento para Kane e cabeçada para o centro da área. 
Gol da Inglaterra - Stones

HARRY KANE PEDIU MÚSICA NO FANTÁSTICO!
Como é tradição no nosso futebol, Harry Kane pôde pedir música no Fantástico. Ele escolheu "One Kiss", do cantor Calvin Harris e Dua Lipa.
Sobre o jogo e ter se tornado artilheiro, Kane disse:
– Obviamente está indo tudo bem, mas ainda temos um caminho longo pela frente. O mais importante é ganhar jogos, meu objetivo é ajudar o time a ganhar, mas a artilharia seria a situação perfeita. Tem muitos bons jogadores, espero que eu possa continuar assim.
CLASSIFICAÇÃO DO GRUPO G /

👉 Classificadas, e jogam para definir o 1º colocado
👉 Com igualdade em todos os critérios, se houver empate neste jogo, o que decidirá será o Fair Play (pontuação de cartões)

EMPOLGOU
Confiantes nos títulos, vários ingleses têm postado nas redes sociais que a Copa está "voltando pra casa". Liam Gallagher, ex-vocalista do Oasis e fanático por futebol (é torcedor do Manchester City), entrou na onda e também postou, empolgado, que a taça pode voltar para a Inglaterra, país que inventou o futebol:

Fonte:Globoesporte.com














































Priscila Steinman assina especial de Natal na Globo

Priscila Steinman em "Novo Mundo", seu mais recente trabalho como atriz (Imagem: Divulgação / Globo)
Atriz de trabalhos como “Totalmente Demais” (2015) e “Justiça” (2016), Priscila Steinman agora aposta, fortemente, em sua “porção” roteirista. Segundo informações da jornalista Anna Luiza Santiago, além de preparar a nova temporada de “Malhação” – que irá marcar sua estreia como autora-titular –, Priscila também tem se dedicado a um especial de fim de ano.
“O Natal Perfeito”, protagonizado por duas crianças, deve ir ao ar na noite de 24 de dezembro. O diretor artístico Vinícius Coimbra – de “Liberdade, Liberdade” (2016) e “Novo Mundo” (2017) – comandará as gravações, que terão início em julho.
Com o projeto, a Globo retoma as investidas em teledramaturgia na grade especial de fim de ano – tradição na década passada, com especiais como “Papai Noel Existe” (2006) e pilotos de diversas atrações, retomada em 2017 com programas regionais.
Vale lembrar que Priscila Steinman já atuou como roteirista na emissora, integrando a equipe do extinto “Na Moral” (2012), programa de debates conduzido por Pedro Bial, e de “Malhação - Intensa Como a Vida” (2012).

Fonte:RD1

Após batida de Vettel na largada, Hamilton vence em Paul Ricard e reassume liderança

Após batida de Vettel na largada, Hamilton vence em Paul Ricard e reassume liderança


Se havia alguma possibilidade de Sebastian Vettel incomodar Lewis Hamilton na briga pela vitória no GP da França, tudo acabou em dez segundos de corrida: o alemão errou a freada para a primeira curva após a largada, acertou Valtteri Bottas, quebrou a asa dianteira, teve de ir aos boxes, caiu para o fim do pelotão e ainda foi punido. Ainda que tenha se recuperado e chegado em quinto, Vettel viu Hamilton vencer facilmente em Paul Ricard e reassumir a liderança do campeonato, agora com 14 pontos de vantagem (145 a 131).

.
Aproveitando o toque entre Vettel e Bottas no começo, Max Verstappen assumiu o segundo lugar e o manteve por toda a corrida. Kimi Raikkonen teve uma boa atuação e conquistou a última posição no pódio após ultrapassar, a seis voltas da bandeirada, Daniel Ricciardo, que finalizou em quarto.
Completaram a zona de pontuação, do sexto ao décimo lugares, Kevin Magnussen (Haas), Valtteri Bottas (Mercedes), Carlos Sainz (Renault), Nico Hulkenberg (Renault), e Charles Leclerc (Sauber).
A próxima etapa da temporada será já no próximo domingo, com o GP da Áustria, em Spielberg.

Resultado final do GP da França

Resultado final do GP da França (Foto: Reprodução/rede social)Resultado final do GP da França (Foto: Reprodução/rede social)
Resultado final do GP da França (Foto: Reprodução/rede social)

O pódio

HAMILTON: "Eu me sinto muito grato pelo fim de semana sólido. Estou com meus caras há seis anos e eles continuam em busca dos limites"
VERSTAPPEN: "Tentei acompanhar Lewis. Tive uma boa corrida. É bom estar no pódio"
RAIKKONEN: "Penso que foi uma recuperação decente no trecho longo, tivemos muita velocidade no fim, e consegui estar no pódio"

O que você precisa saber sobre o GP da França?

- Hamilton venceu pela 65ª vez na carreira - apenas Michael Schumacher, com 91, tem mais vitórias.
- Segundo lugar em Paul Ricard é o melhor resultado de Max Verstappen na temporada 2018.
- Terceiro colocado, Kimi Raikkonen não subia ao pódio desde a corrida do Azerbaijão, onde terminou em segundo.

Largada GP da França Fórmula 1 (Foto: REUTERS/Jean-Paul Pelissier)
Largada GP da França Fórmula 1 (Foto: REUTERS/Jean-Paul Pelissier)


Fonte:Globoesporte.com





































Arquivo do blog